domingo, 19 de agosto de 2012

Capítulo 17 - Processo-crime


Bety: Não sei o que parece este sossego, de certa forma tenho saudades da Tixa. Mas vou ter de a esquecer, custe o que custar, ela agora tem a família dela verdadeira, não me posso estar a meter no meio.




Bety: Não estou a aguentar esta mágoa de não saber por onde anda Dário e minha filha ou filho, nem sei. Martins, minha irmã parvalhona, nem sabe o que levou do berço quando entregou o bebé àquela estúpida da mãe dele que os levou para longe de mim. Como é possível encontrá-los neste mundo que não tem mais fim? Jamais saberei deles.




Bety: Nada melhor que um banho para acalmar. Depois vou ao salão de beleza, estou a precisar.




Bety: Parece que fiquei mais nova. Bem, agora vou visitar a parte comum do prédio.




Bety: Aqui é o hall da entrada para o meu andar, é muito acolhedor e sossegado. Nem sei se vive mais alguém nestes andares, pois são um pouco caros.




Bety: Isto cá em cima também tem muito divertimento podemos jogar e fazer exercício.




Algum Tempo Depois

Bia: Olá!
Bety: Olá! Sozinha por aqui, como te chamas?




Bia: Eu? Bia. E você? É nova aqui no prédio?
Bety: Meu nome é Bety, cheguei hoje, moro no 1º esquerdo. Quer jogar alguma coisa?




Bia: Eu adoro jogar bowling, você quer jogar comigo?
Bety: Vamos lá então.




Bia: Boa, deitei todas a baixo!
Bety: Boa Bia, a bola é pesada mas você joga bem.




Bety: Estou, quem fala?
Sebastião: É Sebastião Opaco da Associação Criminal de Menores. A sua queixa já foi apresentada e aceite, quem vai tratar desse processo sou eu. Preciso falar consigo para recolher alguns elementos, onde nos podemos encontrar?
Bety: Pode ser na Baixa, no Café Uma e Vinte Cinco?
Sebastião: Combinado, estarei lá daqui a 15 minutos.




Bety: Querida, vou ter de sair, desculpa ter que te deixar assim mas é urgente.
Bia: Esteja à vontade, vamo-nos ver mais vezes, não vamos?




Sebastião: É você a Bety?
Bety: Sim, pensava que já não vinha.
Sebastião: É, atrasei-me um pouco, peço desculpa.




Bety: Pensei que vinha sozinho.
Sebastião: Acha que sou eu sozinho que vou tratar do seu caso?




Bety: Bem, vamos logo arranjar uma mesa que este café é muito frequentado. D. Elisete, queremos mesa para 5.
Elisete: Só para 4 um terá de ficar noutra mesa.




Sebastião: Vamos já pedir o jantar, pois devemos estar todos esfomeados.




Sebastião: Bety, passo a apresentar as pessoas que vieram comigo: Esta é Gesela, é escriturária e vai anotar no seu processo tudo o que se irá passar. Este da crista é o detetive Jeremias, ele vai atuar em campo disfarçadamente a partir do ponto onde tudo começou. Aquele ali é Leandro, investigador. Também vai atuar em campo mas diretamente com as pessoas.
Bety: Hum… estou a entender.




Sebastião: Bem, agora terá que me contar tudo o que sabe sobre o caso, nem que lhe custe falar, não omita nada.
Bety: Só um minuto, tenho de beber um pouco de água pois não me tenho sentido muito bem com o acontecimento.




Bety (pensando): Estará Jeremias atento ao que vou dizer ou os detetives atuam assim mesmo?
Bety: Bem, quando andava no colégio particular, namorava com um moço e chegámos a ter um relacionamento. Sem nós contarmos eu engravidei. Ele sendo menor, como eu, resolveu falar com a mãe dele para que ela nos pudesse ajudar, pois minha mãe encontrava-se muito doente e não a queríamos incomodar com essa situação.




Sebastião: Como se chama ele? Você conhecia a mãe dele? E você vivia só com a sua mãe?
Bety: Ele se chama Dário. Não cheguei a conhecer a mãe dele porque ela ficou tão indignada com a minha gravidez que nunca me quis ver nem pintada. Eu vivia com minha mãe e minha irmã gémea, Martins, meu pai já tinha falecido. Andávamos os três no mesmo colégio.




Sebastião: Então e depois como ficou tudo isso?
Gisela: Ficaram a tocar violino!
Bety: Veja lá como fala menina. Como a mãe dele não quis saber eu fui obrigada a contar a minha mãe. Então fomos os dois falar com ela. Como o bebé só nascia depois de terminarmos o curso, prometemos à minha mãe que arranjaríamos um emprego e cuidaríamos do bebé. Ele assumiu tudo, nós nos amávamos, tenho a certeza disso.




Sebastião: E então o que correu mal nessa história toda?
Bety: Só quando minha irmã foi presa, é que eu soube o que se passou. Quando entrei em trabalho de parto, ainda antes de ter terminado a escola, levaram-me para o hospital. Como eu estava muito fraca davam-me medicação para eu dormir e eu não dei por nada. Entretanto a mãe dele foi lá, espetou com um maço de notas na mão da minha irmã e ela subiu as escadas para trazer o bebé. Logo depois sumiram e nunca mais ninguém os viu.




Bety: Minha irmã está presa neste preciso momento porque pegou um bebé de outro berço, para fazer de conta que era o meu, e sumiu também. Minha mãe não aguentou tanto sofrimento e acabou falecendo.
Gisela: Danada sua irmã!




Bety: Mais tarde, já estava eu a viver na Vila Kachu apareceu minha irmã com uma menina dizendo que era a minha filha e se chamava Tixa. E eu criei essa menina, como se fosse minha filha, até sua mãe verdadeira descobrir e poder vir buscá-la.




Leandro: Resumindo. Neste momento você só tem conhecimento de que Dário, sua mãe e seu filho, sumiram e não se sabe o paradeiro deles. Mas e seu filho, como se chama?
Bety: Não sei o nome nem se é filho ou filha. Nem minha irmã sabe, aquela desnorteada.




Jeremias: Mas Dário não estará conivente com sua mãe na fuga de seu filho? Ou filha?
Bety: Não, isso não está de certeza, pois minha irmã diz que além dele não sair do carro, o coitado só chorava e se encolhia aos berros de sua mãe.




Sebastião: Bem, iremos começar por recolher os dados de Dário no colégio onde vocês estudaram. Depois lhe direi alguma coisa.
Elisete: Então meus senhores, está tudo bom ou precisam de mais alguma coisa?
Bety: Ah, ainda nem provei!
Jeremias: Está ótimo, pode trazer a segunda dose, quem paga é o chefe.




Antes de Bety ir para casa foram acertar mais alguns detalhes para a sala de espera.


12 comentários:

  1. Adorei o capitulo! :D
    Estou mesmo ansiosa que a Bety encontre o seu filhinho. Será que a menina que ela conheceu no predio pode ser a filha dela? Achei que eram parecidas! :D

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bety desta vez tem uma equipe tratando do assunto, espero que seja desta que ela os encontre. Quem sabe se é Bia? Vamos esperar para ver.

      Beijinho!

      Eliminar
  2. Me veio uma ideia a cabeça de que Bia é a filha de Bety...sendo ou não, esta história é muito interessante!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Caroline!
      Vamos esperar para ver!

      Beijinho!

      Eliminar
  3. Espero que a Bety descubra o paradeiro do seu ex e de sua filha!!
    Beijos.

    http://diariosthesims.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  4. Gostei do capítulo!
    Muito fofa elas jogando boliche!
    Eu fui jogar boliche este final de semana e estou com dores no braço, ombro e costa até agora kkkkk... pena não ser tão fácil da vida rea como é no jogo! XD

    Beijoos Jeh♥

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que engraçado, aqui chamamos bowling!
      A bola é muito pesada mesmo.
      Obrigada por acompanhar!

      Beijokas! ♥

      Eliminar
  5. Espero que Bety descubra o verdadeiro paradeiro da filha e do seu amado, apesar de tudo ele pensou que ela morreu..
    Agora Bety está com vida nova, espero que ela se dê muito bem nessa Vila, agora que encontre a sua felicidade
    Be desculpa a demora para comentar, semana cheia de trabalho.
    Bjs, boa semana <3

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, é verdade, Dário pensa que Bety não resistiu ao parto e faleceu, por isso nunca se preocupou em procurá-la mas também não teve mais mulher nenhuma, ele amava Bety de verdade.
      Não tem mal, Gu, eu também não tenho tido muito tempo, vou lendo conforme arranjo tempo.

      Beijinho!♥

      Eliminar
  6. BeAz querida, não sei o que acontece mas meus comentários não estão sendo enviados o.O
    Postando de novo....
    Eu estou torcendo para que Bety consiga descobrir por onde anda seu filho ou filha e que todos os culpados pagem pelos seus atos, mas fico pensando...o tempo passou..o que será que contaram a sua filha ou filho? Será que ele sabe que a mãe o está procurando?

    beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá querida Meg!
      Mas dá algum tipo de erro quando tenta enviar?

      Neste momento só Bety sabe da existência do seu namorado e de sua filha ou filho, porque a irmã nem se apercebeu se era menina ou menino. Mas Dário, o seu namorado, pensa que Bety morreu quando teve o bebé, porque foi isso que lhe foi dito pela mãe dele, por isso ele deve ter dito à/ao seu/sua filha/o que sua mãe faleceu quando ele/ela nasceu.

      Obrigada Meg, por estar sempre presente!
      Beijinho!♥

      Eliminar